O mundo da moda lamenta o fim de uma era para a rede de departamentos de luxo Barneys New York. Pelo menos, da forma como é conhecida hoje. Depois de ter o pedido de proteção contra falência confirmado, em agosto, a venda da empresa foi concluída nessa sexta-feira (01/11/2019). Os ativos restantes e a propriedade intelectual da multimarcas foram adquiridos por US$ 271,4 milhões pelo Authentic Brands Group e o parceiro B. Riley Financial, que já havia concedido um empréstimo à Barneys.

Nessa quinta-feira (31/10/2019), a juíza de falências Cecelia G. Morris aprovou a venda oficial da Barneys para a empresa de licenciamento Authentic Brands Group, oficializada na sexta-feira (01/11/2019). Com o acordo atual, a maioria das lojas restantes da rede de luxo deve ser fechada, colocando em risco mais de 2 mil empregos. A mercadoria entrará em liquidação, enquanto o nome da marca será licenciado para a Saks Fifth Avenue na América do Norte.

Apesar dos fechamentos, a principal loja da rede em Nova York deve permanecer aberta pelo menos durante 2020, segundo Daniel Levy, presidente da Ashkenazy Acquisition Corporation, empresa dona dos principais imóveis da marca em NY e Los Angeles. Porém, terá um formato novo e menor. Localizada na Madison Avenue, a loja será transformada em uma “experiência pop-up de varejo”, o que incluirá butiques e opções para entretenimento, como instalações de arte.

Segundo um representante da ABG, a companhia pretende “alavancar sua escala internacional, experiência em marketing e rede de parceiros de primeira classe para aumentar a presença global da Barneys New York no varejo”. O plano atual inclui pop-ups, quiosques (shop-in-shops) dentro de lojas da Saks nos EUA e Canadá, comércio eletrônico e uma nova loja independente em algum mercado chave dos EUA.

“Seu foco inicial será colaborações de high fashion, produtos da marca própria e expansão do varejo internacional em estabelecimentos tradicionais (brick-and-mortar) e comércio eletrônico”, afirmou o representante em comunicado.

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM/@BARNEYSNYReprodução/Instagram/@barneysny
Três meses depois de ter o pedido de proteção contra falência confirmado, os ativos restantes da famosa multimarcas de luxo Barneys New York foram comprados pelas empresas Authentic Brands Group e B. Riley Financial

NICHOLAS HUNT/GETTY IMAGESNicholas Hunt/Getty ImagesComo parte do novo acordo, a maioria das lojas deve ser fechada

A venda ocorreu após várias semanas de negociações com potenciais compradores. Um deles foi o empresário Sam Ben-Avraham, que chegou a movimentar a campanha #savebarneys no Instagram. Sem sucesso, o executivo tinha como objetivo manter a empresa como um destino de varejo físico. Em uma carta aberta divulgada nessa sexta-feira (01/11/2019), afirma que ele e sua equipe desistiram de tentar a corrida no tribunal após dois meses trabalhando nesse sentido.

“Minha equipe e eu ainda sentimos muito a respeito da Barneys: o que ela representa e o que pode significar no futuro”, lamenta. “Infelizmente, não conseguimos convencer o número suficiente de pessoas na comunidade empresarial de que fazia sentido economicamente manter a Barneys viva. […] Peço desculpas se falhei e dei a alguém uma falsa esperança por não conseguir fechar o acordo”, completa.

Em outro post, publicado na mesma data, declara: “No fim do dia, após dois meses tentando dar vida à nossa visão e o que sentíamos ser o melhor plano, a outra parte venceu. Muito respeito aos vencedores e espero que eles consigam fazer o que é certo pela marca. Desejo-lhes nada, mas o melhor”.

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM/@BARNEYSNYReprodução/Instagram/@barneysny
A venda ocorreu após semanas de negociações com potenciais compradores
REPRODUÇÃO/INSTAGRAM/@BARNEYSNYReprodução/Instagram/@barneysny
Nas redes sociais, internautas lamentaram a notícia com emojis de choro e coração partido
REPRODUÇÃO/INSTAGRAM/@BARNEYSNYReprodução/Instagram/@barneysny
A loja principal da Barneys em Nova York vai operar pelo menos em 2020
REPRODUÇÃO/INSTAGRAM/@BARNEYSNYReprodução/Instagram/@barneysny
Contudo, terá um formato novo e menor, com uma “experiência pop-up de varejo”

Para os fãs da Barneys, o clima é de luto nas redes sociais. No Instagram oficial da varejista, diversos internautas se manisfestaram nos comentários com emojis de choro e corações partidos. Houve até acusações de que Ben-Avraham teria enganado os clientes da rede, criando uma falsa expectativa de que a compraria.

De maneira geral, a liquidação dos produtos será prejudicial para as marcas de luxo, já que seus produtos serão vendidos com grandes descontos. A notícia também preocupa a expectativa de vendas das varejistas premium para as festas de fim de ano.

Business Insider teve acesso a um comunicado da marca, no qual a empresa diz que fez o possível para evitar a liquidação. “Nos últimos meses, trabalhamos diligentemente com o tribunal, nossos credores e credores para maximizar o valor dos ativos da Barneys e estamos satisfeitos por ter chegado à conclusão desse processo”, diz um trecho.

“Queremos agradecer a todos os nossos funcionários, designers e fornecedores talentosos e a nossos clientes fiéis por fazerem parte da história e da marca icônica da Barneys New York”, continua. Um porta-voz também confirmou que a CEO da Barneys, Daniella Vitale, está deixando o cargo após a venda da empresa.

DREW ANGERER/GETTY IMAGESDrew Angerer/Getty Images
A CEO Daniella Vitale deixou o cargo após a venda da empresa
SPENCER PLATT/GETTY IMAGESSpencer Platt/Getty Images
Segundo porta-voz, a Barneys fez o possível para evitar a liquidação
ALESSIO BOTTICELLI/GC IMAGES VIA GETTY IMAGESAlessio Botticelli/GC Images via Getty Images
Kim Kardashian comprando na loja da Madison Avenue em 2014
REPRODUÇÃO/INSTAGRAM/@BARNEYSNYReprodução/Instagram/@barneysny
A marca foi fundada em 1923 por Barney Pressman e começou como uma loja de roupas masculinas com descontos

Criada por Barney Pressman em 1923, a rede começou como uma loja de roupas masculinas com descontos, até se transformar em uma varejista de luxo na década de 1960.

Antes de acionar a proteção contra falência, neste ano, a marca já havia pedido recuperação judicial, no fim dos anos 1990, mas conseguiu reestruturar a dívida posteriormente.

Vendas atrasadas durante anos, diante da ascensão do comércio eletrônico, assim como o alto valor dos aluguéis, foram os principais fatores que levaram a varejista ao vermelho.

Assim como o fechamento da loja francesa em Colette, há dois anos, as mudanças na Barneys significam o fim de uma era para quem ama moda.

Colaborou Hebert Madeira

DEIXE UMA RESPOSTA

*

code