As Olímpiadas de Tóquio 2020 (ou 2021, se quiser ser mais preciso) acabou há menos de uma semana, com os Estados Unidos no topo da tabela com 39 medalhas conquistadas. A China ficou com 38 títulos olímpicos levados para casa e um total de 52 atletas com medalhas de ouro penduradas nos pescoços (obviamente, contando os esportes em equipe).

A glória no esporte levou a um prêmio menos “glorioso”, mas ainda assim útil: um carro. De acordo com o site Kuruma News, os atletas chineses receberão um Hongqi H9 de presente por seus feitos. Trata-se de um sedã médio de luxo produzido e vendido apenas na China e que normalmente é usado por executivos e membros do governo.

Não é um prêmio ruim, pois é um sedã imenso com mais de 5 metros de comprimento, criado para competir com Audi A6, BMW Série 5 e Mercedes-Benz Classe E. Todas as versões que serão dadas para os atletas serão equipadas com o motor 2.0 turbo a gasolina de 252 cv e 38,7 kgfm (ainda tem variantes V6 de 2,5 e 3 litros) combinado a uma transmissão automática de 7 marchas, tração traseira e com o máximo de equipamentos possível, tanto que cada unidade custa aproximadamente 48.000 euros (R$ 296.112).

Externamente, o Hongqi H9 não esconde sua inspiração no Rolls-Royce na parte frontal, com uma impressionante grade cromada, enquanto a traseira lembra muito a Cadillac, principalmente pelas lanternas verticais.

Passando para dentro, é difícil não olhar para a cabine e não lembrar dos carros da Mercedes-Benz. Não só pelo esquema de duas telas para a central multimídia e painel de instrumentos, como também o design gráfico dos dois displays. Os clientes podem escolher ter somente dois assentos na fila traseira, elevando o túnel central para integrar uma tela sensível ao toque que controla algumas funções do carro – para o passageiro poder mudar a rádio sem nem falar com o motorista.

Hongqi H9

Se o nome Hongqi te parece familiar, é porque esta marca apareceu em abriu no Motor Valley, onde apresentou o hiperesportivo S9 com um visual feito por Walter de Silva, designer com passagem por Fiat, Audi e Volkswagen. O esportivo de 1.400 cv será produzido em Modena (Itália), de olho no mercado europeu, com apenas 99 unidades e lançamento previsto para 2023.

DEIXE UMA RESPOSTA

*

code